CALENDARIO MÊS DE JANEIRO

 

Janeiro Roxo – Campanha de Prevenção à Hanseníase

Janeiro Branco – Saúde Mental

04/01 – Dia do Hemofílico

20/01 – Dia do Farmacêutico

 

JANEIRO ROXO - Campanha de Prevenção à Hanseníase

 

Janeiro roxo 2023

 

Você sabe o que é hanseníase? Muitas pessoas não sabem. Por isso, o mês de janeiro ganhou o título de "Janeiro Roxo". A iniciativa de relacionar o mês a uma cor tem o objetivo de chamar a atenção para o tema e esclarecer à população sobre sintomas, prevenção e tratamento. A doença pode causar incapacidades físicas, principalmente nas mãos, pés e olhos. Atualmente o Brasil ocupa a 2ª posição no mundo em maior número de casos, entre os países que diagnosticam a doença, ficando atrás somente da Índia.

O Ministério da Saúde alerta que quanto mais cedo diagnosticar a hanseníase, mais cedo a pessoa poderá ser tratada e assim evitar sequelas. A doença tem cura e o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente do diagnóstico ao tratamento. O diagnóstico e o tratamento da hanseníase ocorrem nas Unidades de Saúde da Atenção Primária. O diagnóstico é essencialmente clínico, com análise da história do paciente e exame dermatoneurológico (da pele e dos nervos), para avaliação de áreas da pele e/ou manchas com alterações de sensibilidade (ao toque, à dor e à temperatura).

Em alguns casos, o paciente é encaminhado para serviços de referência, para confirmação diagnóstica e, quando necessário, para acompanhamento do caso.

A transmissão ocorre quando uma pessoa com hanseníase, que não faz o tratamento, elimina no ar, por meio da fala, tosse, espirro, o microrganismo, infectando outras pessoas. A doença pode acometer pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade. Entretanto, é necessário um longo período de exposição à bactéria, sendo que apenas uma pequena parcela da população infectada realmente adoece.

Hanseníase 2023

 

JANEIRO BRANCO – Saúde Mental

Janeiro branco 2023

Criada em janeiro de 2014, a campanha Janeiro Branco considerou que, em termos culturais, as pessoas estão mais propensas a repensarem suas vidas, nas relações sociais, condições de existência, emoções e sentidos de existência. E de forma alusiva como uma “folha em branco”, todos podem se inspirar a redesenhar suas próprias histórias de vida.

Janeiro branco pequeno 2023O Janeiro Branco é uma campanha que se dedica a chamar a atenção para as questões relacionadas à saúde mental e saúde emocional dos indivíduos, coletivos, autoridades e instituições humanas. A população mais saudável pressupõe uma cultura da Saúde Mental no mundo.

Com isso a campanha ressalta para um importante desafio de que não se pode mais deixar de lado, que se faz urgente a criação de um cultura da Saúde Mental em meio a todas as relações humanas.

Dessa forma essa campanha pode contribuir na construção de uma visão ampliada e integral do conceito de Saúde Mental. Importante salientar que a campanha também busca sensibilizar as mídias, as instituições sociais, os cidadãos e as autoridades sobre a importância das políticas públicas e privadas promotoras de Saúde Mental da população em geral.

 

Saúde mental 2023

 

DIA DO HEMOFÍLICO       

 

Hemofilia 2023

 

A hemofilia é um distúrbio genético e hereditário que afeta a coagulação do sangue. Por exemplo: quando ferimos alguma parte do nosso corpo e começa a sangrar, as proteínas (elementos responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento de todos os tecidos do corpo) entram em ação para estancar o sangramento. Esse processo é chamado de coagulação. As pessoas portadoras de hemofilia, não possuem essas proteínas e por isso sangram mais do que o normal.

Geralmente, os sangramentos são internos, ou seja, dentro do seu corpo, em locais que você não pode ver, como nos músculos. Podem também ser externo, na pele, provocado por algum machucado aparecendo manchas roxas ou sangramento. As mucosas (como nariz, gengiva, etc.) também podem sangrar. Os sangramentos podem tanto surgir após um trauma ou sem nenhuma razão aparente. Os cortes na pele levam um tempo maior para parar de sangrar.

A hemofilia é classificada nos tipos A e B. Pessoas com Hemofilia tipo A são deficientes de fator VIII (oito). Já as pessoas com hemofilia do tipo B são deficientes de fator IX (nove). Os sangramentos são iguais nos dois tipos, porém a gravidade dos sangramentos depende da quantidade de fator presente no plasma (líquido que representa 55% do volume total do sangue).

O tratamento é feito com a reposição intra-venal (pela veia) do fator deficiente, mas para que o tratamento seja completo, o paciente deve fazer exames regularmente e jamais utilizar medicamentos que não sejam recomendados pelos médicos.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

 

DIA DO FARMACÊUTICO

 

Farmacêutico 2023

 

No dia 20 de janeiro é comemorado no Brasil o Dia do Farmacêutico. A data foi sugerida pelo profissional Oto Serpa Grandado, em janeiro de 1941, durante uma reunião da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF), com o intuito de valorizar, motivar e trazer à tona discussões sobre a profissão. Já em 2007, o Conselho Federal de Farmácia, por meio da Resolução nº 460, instituiu oficialmente o dia 20 de janeiro como Dia do Nacional do Farmacêutico.

Notáveis personalidades brasileiras também fizeram história nesta classe profissional, incluindo, Maria da Penha, que se tornou símbolo do combate à violência doméstica no Brasil e Carlos Drummond de Andrade, que além de ser um dos poetas mais famosos e conhecidos no Brasil, era também farmacêutico. Certa vez, ao ser questionado sobre o porquê de ter cursado Farmácia, já que optou pela carreira literária, Drummond respondeu: “Porque eu gosto das pessoas”!

Neste contexto, importa destacar que o farmacêutico não atua somente como profissional do medicamento, mas essencialmente como profissional de saúde que prioriza o cuidado centrado e individualizado do paciente, pautado em suas necessidades e no estabelecimento de uma relação de confiança. A melhoria na qualidade de vida e do bem estar da população encontra no profissional farmacêutico um importante aliado em favor da saúde e da informação.

 

FONTES:

BIBLIOTECA VIRTUAL EM SAÚDE – MINISTÉRIO DA SAÚDE

CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA

 

Natal capa

O Centro de Atendimento Socioeducativo Regional de São José realizou, em sua Ação de Natal, a doação de presentes e produtos alimentícios para a Organização Social Civil “Amor Infinito”.

Participaram do evento os Agentes de Segurança Socioeducativos do CASE, que em parceria com a entidade, promoveram uma grande corrente de solidariedade, transformando o Natal da comunidade em um momento especial.

Natal 1

A ação solidária beneficiou crianças da comunidade do Brejaru, bairro localizado no município de Palhoça. Na ocasião foram entregues carrinhos de madeira produzidos pelos adolescentes que cumprem medida socioeducativa no CASE de São José e que participam das atividades na oficina de marcenaria, que faz parte das práticas profissionalizantes oferecidas pela Unidade.

Natal 2

Natal

 

TJSC capa

Tribunal de Justiça de Santa Catarina destacou, em seu site oficial, experiências exitosas desenvolvidas no CASE e CIF de Florianópolis, bem como no CASE de Itajaí.

Confira as matérias, na íntegra:

 

Centros socioeducativos da capital investem em cursos profissionalizantes para jovens

Qual é a maneira mais eficaz de diminuir a reincidência em atos infracionais? Grande parte dos juízes que comandam as Varas da Infância e Juventude constata que o caminho passa pela educação, pela perspectiva de um trabalho digno e por uma rede de apoio que possa auxiliar esses jovens.

Com essas premissas, o Centro de Atendimento Socioeducativo de Florianópolis (Case) e o Centro de Internamento Feminino (CIF) oferecem aos internos cursos profissionalizantes em diversas áreas, como de eletricista, barbeiro, auxiliar de construção civil, manicure, costura e informática. “A escolarização é um dos meios mais eficazes de mudança de pensamento e comportamento”, garante Filipe Minelli, superintendente regional da Grande Florianópolis.

Esses centros desenvolvem as medidas socioeducativas que integram a rede de atenção ao adolescente em conflito com a lei. Conforme a juíza Brigitte Remor de Souza May, titular da Vara da Infância e Juventude da Capital, “nos últimos anos, o Poder Executivo, através do Departamento de Administração Socioeducativa (Dease), fez  um trabalho excelente, elevou a condição de todo o sistema.” Há duas unidades em Florianópolis: o Centro de Internamento Feminino, com 14 adolescentes; e um centro masculino, com 13.

Além dos cursos, neste ano os centros ofereceram oficinas de reciclagem de lixo, de arte, horta e jardinagem entre outras. Aliado a isso, os adolescentes visitaram museus, instituições ambientais e o Projeto Tamar.

TJSC 2

Imagens: Divulgação/Freepik

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI

Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Link da notícia: https://www.tjsc.jus.br/web/imprensa/-/centros-socioeducativos-da-capital-investem-em-cursos-profissionalizantes-para-jovens 

 

 

Alta gastronomia apresenta chance de profissionalização para socioeducandos em Itajaí

Entre cores, texturas e sabores, uma profissão é apresentada aos socioeducandos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Itajaí através do projeto “Alimentando Ideias”. A iniciativa que há um ano apresenta técnicas gastronômicas, desde a preparação inicial dos insumos e do ambiente de trabalho até a montagem final dos mais variados pratos, é acompanhada de perto pelo juiz Fernando Machado Carboni, da Vara da Infância e Juventude e Anexos da comarca de Itajaí, que avalia a capacitação como uma grande oportunidade.

Uma parceria entre o Case de Itajaí e os chefs Eldrin Alexandre e Bruno Cachone, o projeto consiste em capacitar os adolescentes na área da gastronomia, qualificando-os para um mercado de trabalho em expansão na região litorânea e turística. O curso poderá ser aplicado no dia a dia do socioeducando quando ele retornar ao convívio social, tanto pela autonomia para a criação de diferentes pratos em casa quanto para trabalhar no ramo gastronômico.

Além da oportunidade de profissionalização, o magistrado afirma que o olhar mais atento aos socioeducandos mostra a eles que, de fato, não estão no local para serem punidos, mas sim para serem recuperados. Outro ponto importante é que a probabilidade de retorno ao cometimento de atos diminui, uma vez que eles terão uma fonte de renda.

“A participação no curso é levada em conta para fins de recebimento de benefícios, como uma progressão para uma medida mais branda. E como trabalham com talheres, inclusive facas, só participam os que possuem bom comportamento. Então o curso, além de ensinar uma profissão, ajuda na melhora do comportamento na unidade, já que eles querem fazer”, observa o juiz Fernando.

O "​Alimentado Ideias", aliás, é disputado entre os socioeducandos do Case de Itajaí, segundo o diretor da unidade. Como são poucas vagas por turma, por ser um trabalho mais exclusivo e mais dedicado com a supervisão dos chefs, poucos são selecionados para fazer parte do projeto. Ele compartilha que apenas quem tem um ótimo comportamento na unidade vai para o curso, e sempre que uma turma encerra os adolescentes já perguntam se podem participar da próxima. “O projeto foi bem positivo”, comemora Francinêt Cirilo Silva, diretor do Case, ao citar que durante as visitas os adolescentes contam sobre o que aprenderam e o que irão preparar para os familiares quando saírem de lá.

Ele também enaltece os chefs por terem abraçado a ideia e se dedicado ao projeto. Segundo Francinêt, “é difícil nos dias atuais termos pessoas que dediquem tempo e empenho em projetos como esse”. Além de ministrarem as aulas, os profissionais são os responsáveis pelos insumos utilizados no curso - através de doações e parcerias eles conseguem todos os insumos que são utilizados nas aulas. “Ou seja, o curso todo é realizado a custo zero para o Estado”, observa.

Na formatura deste ano, o titular da Vara da Infância e Juventude e Anexos da comarca de Itajaí entregou os diplomas. Todos os presentes puderam experimentar as iguarias produzidas e apresentadas pelos socioeducandos. O curso ofertado no Case de Itajaí tem o apoio do Departamento de Administração Socioeducativa (Dease), do Governo do Estado de Santa Catarina.

TJSC 1

Imagens: Divulgação/Case Itajaí

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI

Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

 

Link da notícia: https://www.tjsc.jus.br/web/imprensa/-/alta-gastronomia-apresenta-chance-de-profissionalizacao-para-socioeducandos-em-itajai  

 

DEASE - Departamento de Administração Socioeducativa

Rua Fúlvio Aducci, 1214 – 2º Andar – Estreito
Florianópolis - SC - CEP 88.075-000 - Fone: (48) 3664-5800
Horário de Atendimento: 12h às 19h
JSN Boot template designed by JoomlaShine.com